Belo Belo

Belo belo belo,
Tenho tudo quanto quero.
Tenho o fogo das constelações extintas há milênios.
E o risco brevíssimo-que foi? passou! - de tantas estrelas cadentes.
A aurora apaga-se,
E eu guardo as mais puras lágrimas da aurora.
O dia vem, e dia adentro
Continuo a possuir o segredo grande da noite.
Belo belo belo,
Tenho tudo quanto quero.
Não quero o êxtase nem os tormentos.
Não quero o que a terra só dá com trabalho.
As dádivas dos anjos são inaproveitáveis:
Os anjos não compreendem os homens.
Não quero amar,
Não quero ser amado.
Não quero combater,
Não quero ser soldado.
- Quero a delícia de poder sentir as coisas mais simples..


Aproveito e trago um vídeo do YouTube, recitando esta linda poesia!

video

Comentário da Poesia: Acredito que nesta poesia, Bandeira quer mostrar o lado "belo" da vida, e que nada se consegue facilmente e sim com muito esforço. Uma bela poesia,até agora uma das melhores para mim =D
Alinhar ao centro


Baixe na Moleza
Cadastre-se ... depois dê sua nota para os sites:
great (ótimo), not bad (nada mal), perfect (perfeito).

0 comentários: